Início>Atualidade>“Direito ao trabalho digno” tema promovido pelo Clube de Reflexão Política António Sérgio
Clube António Sérgio

“Direito ao trabalho digno” tema promovido pelo Clube de Reflexão Política António Sérgio

Decorreu no dia 4 de fevereiro, uma sessão debate subordinada ao tema do “Direito ao trabalho digno”, organizado pelo Clube de Reflexão Política António Sérgio, no restaurante Fortaleza, em Rio Maior.

O Clube de Reflexão Política António Sérgio convidou um painel de intervenientes que pretendeu representar as várias posições da sociedade, por forma a enriquecer o debate designadamente, o Dr. Pedro Miguel, o Dr. José Neves e Sérgio Ferreira, com moderação do Dr. António Moreira.

O Dr. Pedro Miguel efetuou a análise, a caracterização e o enquadramento demográfico, da população empregada e desempregada do Concelho de Rio Maior, regimes de trabalho e salários, no contexto da nova NUT2 (Nomenclatura das Unidades Territoriais) que irá agregar os municípios da Lezíria do Tejo, Médio Tejo e Oeste, bem como, apresentou a comparação com os valores estatísticos destes indicadores para Portugal.

O Dr. José Neves abordou as questões do trabalho, fazendo uso da sua vasta experiência de dirigente sindical de âmbito regional e nacional, bem como, do contacto de proximidade com trabalhadores e entidades patronais. Referiu ainda as preocupações e maiores dificuldades dos trabalhadores, com as quais tinha sido confrontado. O Dr. José Neves referiu ainda a importância da formação dos trabalhadores para contribuir para o sucesso, tanto dos trabalhadores como das empresas, e que são importantes em várias dimensões, dotando-os de conhecimento para valorizar o seu trabalho, a sua carreira, de forma digna.

Sérgio Ferreira, presidente da Associação Empresarial do Concelho de Rio Maior, apresentou a posição dos empregadores, caracterizando o tecido empresarial e fez ainda uso do seu conhecimento empresarial para identificar aquelas que são as maiores dificuldades que estes enfrentam, no seu dia-a-dia, tal como a sua posição sobre a constituição da nova NUT2.

No final, foram ainda colocados à discussão as seguintes questões: É fácil despedir em Portugal?; Qual o impacto da globalização, num contexto de competição entre nações, no trabalho digno?; Se é possível ignorar, do ponto fiscal, a substituição da força de trabalho humana pela crescente automatização dos processos?

Contou-se ainda, no final, com uma ávida intervenção da audiência, que muito enriqueceu o debate e  que demonstrou grande interesse no tema, que é de reconhecida importância para o concelho, para a região e para o país.

Gostou de ler esta notícia faça a sua assinatura, ajude-nos a informar.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.