Início>Atualidade>Ruy Belo Biografia
Biografia de Ruy Belo

Ruy Belo Biografia

Biografia de RUY BELO (1933 – 1978)

Rui de Moura Ribeiro Belo, Ruy Belo, nasceu em S. João da Ribeira, Rio Maior, a 27 de Fevereiro de 1933 e faleceu em Lisboa, a 8 de Agosto de 1978.

Iniciou o curso de Direito na Universidade de Coimbra mas concluiu-o em Lisboa, onde se licenciou também em Filologia Românica. Doutorou-se em Direito Canónico pela Universidade de S. Tomás de Aquino, em Roma, «Ficção Literária e Censura Eclesiástica».

Poeta, ensaísta e crítico literário, participou activamente na Resistência ao fascismo e foi, por isso, perseguido pelo regime.

Anúncio

Anúncio

Participou nas lutas académicas de 1962 e tendo sido candidato a deputado, em 1969, numa lista da Oposição Democrática (a Comissão Eleitoral de Unidade Democrática – CEUD).
Inicialmente foi funcionário da União Gráfica, no departamento editorial e tendo posteriormente trabalhado num escritório de advocacia, como canonista.

Na Universidade de Madrid, foi leitor de Português durante sete ano de 1971 a 1977, tendo desempenhado o cargo preenchido com especial distinção desenvolvendo uma intensa actividade na aproximação entre escritores portugueses e espanhóis.

Em Janeiro de 1973, com o apoio da Associação para a Liberdade da Cultura, organizou, na sede da revista madrilena Cuadernos para el Dialogo, um colóquio de intelectuais de ambos os países peninsulares, em que participaram opositores aos regimes então vigentes num e noutro país.
Quando regressou a Portugal, não foi autorizado a leccionar na Faculdade de Letras de Lisboa, tendo ficado a dar aulas na Escola Técnica do Cacém, no ensino nocturno.

Foi adjunto do Diretor do Serviço de Escolha de Livros do Ministério da Educação Nacional e bolseiro de investigação da Fundação Calouste Gulbenkian.

Em Janeiro de 1978, assinou um manifesto dirigido Ao Povo Português, onde se contestava o governo de coligação entre o Partido Socialista e o CDS – Centro Democrático Social, que veio a governar o país.

Foi director literário da Editorial Aster, tendo colaborado em várias revistas de carácter literário, designadamente em O Tempo e o Modo, e assumindo também o cargo de chefe de redacção da revista Rumo.
Faleceu, repentinamente aos 45 anos, não sem o seu curto período de actividade literária, Ruy Belo o ter tornada num dos maiores poetas portugueses da segunda metade do século XX, vendo as suas obras reeditadas diversas vezes.
Publicou poemas, ensaios e artigos de crítica literária em diversos jornais e traduziu e prefaciou algumas obras de autores franceses, como Blaise Cendrars, Saint-Exupéry ou Montesquieu, e de língua espanhola, como Jorge Luís Borges e Federico Garcia Lorca.

É autor de vários livros de poesia e ensaísticos, onde se podem destacar:

  • Aquele Grande Rio Eufrates, 1961
  • O Problema da Habitação – Alguns Aspectos, 1962
  • Homens de Palavra(s), 1969
  • Transporte no Tempo, 1973
  • A Margem da Alegria, 1974
  • Toda a Terra, 1976
  • Despeço-me da Terra da Alegria, 1978

Deixou ainda as colectâneas de ensaios:

  • Poesia Nova, publicada em 1961, e
  • Na Senda da Poesia, em 1969.

Já a título póstumo

  • Todos os Poemas em 2001, Publicado pela editora Assírio e Alvim e que integra o plano nacional de Leitura

“Obra Poética de Ruy Belo”, editada em três volumes, pela Editorial Presença, sob a orientação de Joaquim Manuel Magalhães, onde se reúne toda a sua obra, incluíndo a «Ficção Literária e Censura Eclesiástica», a sua tese de doutoramento em direito canónico, e os Ensaios “Na senda da poesia” de 1969, e um conjunto de inéditos. Que se encontravam dispersos pela residência do poeta em Queluz e na Consolação, localidade de veraneio da freguesia de Lugar da Estrada, concelho de Peniche, e onde Ruy Belo, gostava de passar tempo e escrever, sendo conhecidas as suas aventuras de nadador mar adentro.

Faleceu em 1978, vítima de enfarte do miocárdio ou de edema pulmonar.
Em 1991 recebeu a título póstumo, o grau de Grande Oficial da Ordem Militar de Sant’iago da Espada.

Em 24 de Abril, deste ano foi inaugurada em Óbidos a residência literária Ruy Belo, que teve como primeiros moradores os escritores moçambicanos, Maya Ângela Macuácua e Geremias Mendoso, vencedores da quarta edição do Prémio Literário Fernando Leite Couto, e onde a Câmara de Óbidos pretende reunir o espólio do Poeta.

Esta Residência Literária, resulta de uma pareceria entre a Câmara Municipal de Óbidos e os herdeiros de Ruy Belo, contando com mais de 2000 livros do acervo do Poeta.

Fontes: Biografia de Ruy Belo, no site da Livraria Bertrand, Óbidos Vila Literária

Anúncio

Anúncio

Anúncio

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.