Início>Atualidade>O Festival Nascente está de Volta
Festival Nascente Rio Maior

O Festival Nascente está de Volta

O Festival Nascente está de regresso a Rio Maior.

Depois de uma paragem forçada de 2 anos, a secção Secção Cultural da Casa do Povo de Rio Maior -os Maiorais, volta a colocar na agenda cultural do concelho um projecto importante para o panorama musical do nosso país.

O festival irá decorrer entre abril e julho deste ano, dividido em 3 eventos a realizar no cineteatro de Rio Maior.

Com a sua primeira edição em 2014, o Festival Nascente tem trazido à cidade de Rio Maior mais de 30 projetos artísticos, desde a música, artes plásticas e cinema documental, nomeadamente nomes como os Twist Connection, Pista, Cave Story, Birds are Indie, Vaiapraia e as Rainhas do Baile e Jiboia, tem seguido carreiras ascendentes a nível nacional e internacional, para as quais a sua passagem pelo evento não foram indiferentes.

Anúncio

Com novo formato, mas mantendo o traço dos projetos originais, representativos das novas tendências da música popular, a organização a cabo dos Maiorais, procurou trazer projetos musicais abrangentes e que vão desde o Funk, HipHop, Cantautores, Rock Progressivo, PopRock, ElectroPop e samba-jazz.

O primeiro evento irá decorrer já no próximo dia 23 de abril, às 21h30 no Cineteatro de Rio Maior e contará com:

Stereossauro (BeatBombers, NBCPlutónioSlow JAna MouraCapicuaGisela JoãoCarlos do CarmoDino d’ SantiagoThe Legendary TigermanRui ReininhoDJ RidePaulo de Carvalho)

e o saxofonista João Cabrita (Sitiados, Despe e Siga, os Assessores (banda que acompanha Sérgio Godinho), Dead Combo, Susana Félix, Caetano Veloso, Rui Veloso, Vitorino, Martinho da Vila, Cool Hipnoise, Paulo de Carvalho, Jorge Palma, Orelha Negra, D.A.M.A., X- Wife, The Legendary Tigerman),

Irão apresentar o seu novo projeto, Cachorro sem Dono, cujo álbum de estreia foi editado este mês pelo selo da editora Omnichord, de Leiria.

Este projeto sonoro e narrativo,é um espetáculo de distintas linguagens musicais, do funk ao jazz, do trip hop à eletrónica, nunca deixando de revelar a identidade estética e singular dos seus autores Stereossauro e Cabrita que conta a história de dois detetives privados com pouca sorte e um passado pouco claro, famosos por aceitarem casos bizarros. Cachorro Sem Dono vai percorrendo diferentes perspetivas, registos e ambientes, à medida que vai desvendando as façanhas destes dois detetives de coração mole.

A abertura da noite de 23 de abril, está a cargo de Éme e Moxila, que apresentam o novo álbum homónimo, editado em meados de março. Balanceado entre o country, a folk anglo-americana e a tradição portuguesa, ouvimos as marcas do universo deste duo, sempre com frases certeiras e uma escrita bem apurada. Num mundo cada vez mais desencantado e atrofiado, Éme e Moxila trazem o encanto e a leveza. São sem dúvida uma contribuição para inscrever no presente, parte do património da música popular e tradicional portuguesa, sincronizada com música de outras geografias, muitas vezes com mais pontos de contacto do que parece à primeira vista.

No dia 22 de maio, novamente às 21h30, terá lugar a 2ª noite de concertos com Domenico Lancellotti como atração principal e da qual RMJORNAL dará conta em devido tempo e cuja abertura pertence aos Humana Taranja, banda barreirense do selo Hey, Pachuco!

O festival encerra em pleno Verão, no dia 2 de julho com a Surma. Que actuando a solo, rodeada de uma dúzia de instrumentos e com a sua voz, Surma inspira-se no silêncio para criar um universo próprio de canções que tanto bebem no jazz como na eletrónica. A abertura da noite de Julho pertencerá ao Conjunto!Evite, banda riomaiorense que apresentaram o seu 4º trabalho editado Penso Logo Desisto.

O cartaz desta edição do Festival Nascente é da autoria do artista riomaiorense João Rosa Narciso.

O evento conta com o apoio da DGArtes no âmbito da Linha de Financiamento às Entidades Culturais Não Profissionais da Região de Lisboa e Vale do Tejo, da Câmara Municipal e do Cineteatro de Rio Maior. 

Resumo de eventos do Festival Nascente:

23 de abril -21h30, Cineteatro de Rio Maior

  • Cachorro sem Dono (novo projeto de Stereossauro e João Cabrita)
  • Éme e Moxila

21 de maio – 21h30, Cineteatro de Rio Maior

  • Domenico Lancellotti
  • Humana Taranja

2 de julho – 21h30, Cineteatro de Rio Maior

  • Surma
  • Conjunto!Evite

Leia mais artigos como este na secção de Cultura e Desporto


Anúncio

Anúncio

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.