Início>Crónica>Ainda o Festival Woodstock -1969
Ainda o Festival Woodstock

Ainda o Festival Woodstock -1969

FESTIVAL DE WOODSTOCK – MARCO HISTÓRICO

CONSEQUÊNCIAS ANTROPOLÓGICAS

Como o Festival WoodStock, um festival aparentemente inofensivo, pode ter sido um marco histórico com grandes consequências de natureza antropológica….

O nosso colaborador apaixonado pela música, Fernando Alberto Serrão, bem conhecido de todos os Riomaiorenses, nomeadamente pelas suas qualidades de produtor, realizador e apresentador do antigo programa de rádio, “A Ilha do Sonho” na então Rádio Cidade de Rio Maior, então propriedade da Cooperativa Radiofónica Cidade de Rio Maior, traz-nos uma interessante reflexão sobre as consequências sociais.

Depois do artigo sobre a efeméride do Festival Woodstock, publicado na nosso número zero, e que pode consultar aqui.

Anúncio

Anúncio


            Nunca uns meros três dias em que se reuniram quinhentos mil jovens “Hippies” irreverentes, iconoclastas, adeptos da contracultura, entre 15 e 17/18 de Agosto de 1969, para se  manifestarem pela paz, amor e felicidade, participando num grande festival de Arte e música “Rock”, “Blues” e Country”, provocaram tamanha metamorfose social nos usos costumes e tradições a nível planetário.

Mesmo no final dessa prodigiosa década de sessenta operaram-se relevantes metamorfoses. 

Ora Vejamos então, algumas das mais emblemáticas, consequências antropológicas do lendário “”Festival de Woodstock”:

  • Criação do novo conceito cinematográfico de registo e reprodução/projecção de imagens bi/tridimensionais, ou seja, projecção de duas ou três imagens distintas, apresentadas em simultâneo no mesmo plano;
  • O culto do corpo e a consequente prática do  nudismo;
  • Uso de roupa simples e prática, mais ou menos colorida, sapatilhas ou sapatos de ténis e longos cabelos;
  • Liberdade sexual, procurando obter o pleno prazer, incluindo, por isso, práticas censuradas pela Igreja como, sodomia, felação, masturbação e homossexualidade. Há que reconhecer, no entanto que, o amor livre conduziu ao sexo casual não programado, a perigosa promiscuidade e à génese do abominável “Síndrome da Imunodeficiência Adquirida, vulgar SIDA ou AIDS”, que surgiu, pela primeira vez nos anos oitenta, por volta de  1985, como não podia deixar de ser na cidade de S. Francisco, o berço dos “Hippies”;
  • Uso de drogas alucinogénias;
  • Prática de Ioga, Macrobiótica, Ocultismo, bem como, da agricultura natural, (sem adição de “venenos” nem de fertilizantes);
  • A valorização do Artesanato;

No entanto talvez a luta pelos ideais pacifistas tenha sido o mais difícil.

A maior e mais difícil luta foi a da tenaz oposição à “Guerra no Vietname” e, por isso, os “Hippies” da geração de “Woodstock” obtiveram uma grande vitória porque conseguiram atingir esse pleno objectivo do fim da guerra.

  • – Esta geração legou para a posteridade a filosofia activista da defesa do meio ambiente e da luta por causas justas.
  • – Outra grande descoberta/invenção, desta “década de sessenta”, foi a pílula anti-concepcional;

E o papel da Mulher?

– Para a mulher foi talvez a maior vitória obtida até então, uma vez que, lhe permitiu reivindicar a sua igualdade em relação ao homem já que, a pílula se tornou na mais poderosa “arma que alguma vez equipou uma mulher”, permitindo-lhe emancipar-se e tornar-se independente, o sexo também deixou de ser assunto tabu/secreto e passou a ser um assunto humano e tratado com todo o respeito que lhe é devido.

A mulher passou a ser plenamente independente e por isso, a patética ”sagrada preservação da virgindade” até ao dia do casamento solene na igreja, deixou de ser um “dogma”, até porque, a mulher hoje em dia procura essencialmente um companheiro para viver e não um marido, consequência evidente da nova mentalidade, da nova filosofia de vida obtida com essa poderosa/reivindicativa iconoclasta geração de “Woodstock”.

A mulher é hoje, por isso, livre em absoluto e junta-se, quando quer, com o homem que quer e as vezes que quer sem ter de se preocupar com o seu papel na sociedade.

– Por tudo isto se pode concluir que o “Festival de Woodstock” foi, e é, uma grande referência para a sociedade, e as consequências antropológicas do mesmo ainda hoje se fazem sentir, pois devido à sua inegável influência trouxe grandes alterações nas mentalidades, usos, costumes e tradições na sociedade mais ortodoxa.

E o Leitor está de acordo?

Dê-nos a sua opinião nos comentários.

E ouça o eternamente actual tema de Scott Makenzie, San Francisco, que imortalizou o Festival Woodstock!

Anúncio

Anúncio

Anúncio

Fernando Serrão
Paixões: Música – Tocar bateria – Arte - Linguística – Etimologia - Grego – Latim – Gramática – Língua Portuguesa – Ortografia - História Geral – Antropologia - Geografia Política e Física – Ciências Sociais e Humanas – Direito - Direito Constitucional – Direitos Humanos – Relações Humanas

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.